#data_uri_creator
A melhor ferramenta para a tarefa em mãos é aquela que mais fácilmente a executa
Capturas de ecrã
Em baixo, você encontra as imagens (de tamanho pequeno) do programa, as quais correspondem a todos os passos que podem ser necessários para tirar o máximo partido do programa.
#data_uri_creator : Chega aqui quando o programa inicia; aqui vê as configurações actuais. Se estas estiverem correctas, então clique começar para continuar; caso contrário, clique configurar ou um dos resumos para as poder mudar.
Passo de confirmações:
Tweet:
Chega aqui quando o programa inicia; aqui vê as configurações actuais. Se estas estiverem correctas, então clique começar para continuar; caso contrário, clique configurar ou um dos resumos para as poder mudar.
Informação adicional:
Nota que se você tiver pausado uma tarefa, então quando o programa for executado novamente ele não começará neste passo mas no correspondente à apresentacão dos resultados; em todos os outros casos, o programa começará aqui.

Ao fazer scroll da janela, você pode ver todas as configurações actuais, tornando-se fácil verificar se alguma delas precisa de ser modificada.

Se esse for o caso, então clique no botão configurar para começar a configurar desde o inicio ou clique o resumo de um dos passos da configuração de forma a ser directamente levado até ao mesmo e o poder configurar.

Neste passo também pode clicar no botão doar para doar algum dinheiro para mim. Se fizer isso, o programa irá pedir ao navegador da internet (definido por defeito) que abra a página do paypal aonde você pode ver o nome do alvo da doação (eu) e o montante a ser doado (que você selecionou no programa, antes de clicar no botão doar).

Quando estiver satisfeito com as configurações, então clique no botão começar para iniciar a tarefa (e ser levado para o passo de processamento).

Quando uma tarefa é iniciada, as configurações utilizadas para a mesma são guardadas, de forma a que na próxima vez que o programa for utilizado sejam as que aparecem como pré-configuradas.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe os tipos de ficheiros (.bmp, .css, .csv, .ec, .gif, .htm, .html, .jar, .jpg, .jpe, .jpeg, .jif, .jfif, .js, .json, .pdf, .png, .svf, .svg, .tif, .tiff, .xls, .xml, ou .xul) pelos quais o programa procura e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em seguinte (para continuar).
Passo de configurações 1:
Tweet:
Aqui, escolhe os tipos de ficheiros (.bmp, .css, .csv, .ec, .gif, .htm, .html, .jar, .jpg, .jpe, .jpeg, .jif, .jfif, .js, .json, .pdf, .png, .svf, .svg, .tif, .tiff, .xls, .xml, ou .xul) pelos quais o programa procura e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em seguinte (para continuar).
Informação adicional:
Aqui, escolhe os tipos dos ficheiros pelos quais o programa procura.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe a pasta inicial para a procura e se esta deve incluir o conteúdo das pastas que descendem da mesma e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 2:
Tweet:
Aqui, escolhe a pasta inicial para a procura e se esta deve incluir o conteúdo das pastas que descendem da mesma e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
Aqui, pode escolher o tipo de pastas que quer utilizar: pastas por defeito ou pastas personalizadas.

Pastas por defeito são as que são automáticamente criadas pelo programa, de forma a facilitar a sua utilização; existe uma, denomeada source, aonde o programa procura pelos ficheiros fonte e uma, denomeada target, aonde o programa guarda os que são criados.

Pastas personalizadas são as que são mantidas pelo utilizador do programa; quando uma destas pastas não é encontrada, o programa muda automáticamente para a correspondente pasta por defeito.

Em adição, aqui, você também define se a busca é para ser ou não restringida ao conteúdo directamente encontrado dentro da pasta fonte.

Tenha em atenção que guiar o programa para procurar pelos ficheiros pretendidos quer dentro da pasta fonte quer dentro de qualquer uma das suas subpastas é prático, mas tem um custo associado: leva mais tempo para a busca chegar ao fim. Contudo, esta é a configuração que eu normalmente utilizo.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe se os ficheiros originais devem ser apagados no caso de serem correctamente utilizados pelo programa, e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 3:
Tweet:
Aqui, escolhe se os ficheiros originais devem ser apagados no caso de serem correctamente utilizados pelo programa, e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
Quando eu criei esta opcão imaginei os seguintes dois casos: 1) os ficheiros fonte são importantes e vão voltar a ser utilizados mais tarde; e 2) os ficheiros fonte não são importantes e não vão voltar a ser utilizados mais tarde.

Tendo isto em conta, sempre que utilizo ficheiros importantes eu nego a permissão ao programa para os apagar e no caso contrário dou-lhe sempre permissão para o fazer.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe o tipo de ficheiros a criar e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 4:
Tweet:
Aqui, escolhe o tipo de ficheiros a criar e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
O programa, por agora, suporta a criação dos dois tipos seguintes de ficheiros: .base64.txt e .data.uri.txt.

Especificamente, ao primeiro formato (.base64.txt) corresponde o resultado da codificação do conteúdo do ficheiro fonte como uma cadeia de caracteres de tipo base64; e ao segundo (.data.uri.txt) corresponde o resultado da codificação do conteúdo do ficheiro fonte como uma uri do tipo data.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe a forma de nomear os ficheiros a criar e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 5:
Tweet:
Aqui, escolhe a forma de nomear os ficheiros a criar e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
O propósito de ter vários algoritmos para decidir como é que se denomeiam os ficheiros que são criados é permitir ao utilizador escolher aquele que melhor se adequa às suas necessidades, quando se considera a forma como ele quer lidar com colisões de nomes, quer estas ocorram porque a pasta alvo não está vazia quando a tarefa começa ou porque a procura inclui as subpastas da pasta fonte, o caminho para os ficheiros encontrados na árvore de pastas da pasta fonte é para ser espalmado, e existem pelo menos dois ficheiros com o mesmo nome nesta árvore de pastas.

O programa, por agora, suporta denomear os ficheiros a criar das seguintes três formas: 1) o nome do ficheiro original é mantido; 2) o nome do ficheiro original é mantido, a não ser que uma colisão seja encontrada, caso em que um sufixo numérico é adicionado ao nome original; e 3) os ficheiros a criar são denomeados por utilização do indice a que corresponde a ordem pela qual são processados.

Se você escolher o algoritmo 1) acima, então pode encontrar colisões de nomes sempre que a pasta alvo não esteja vazia quando a tarefa é iniciada ou quando a árvore de pastas a processar contenha pelo menos dois ficheiros com o mesmo nome e o caminho para os mesmos seja para ser espalmado quando estes são guardados na pasta alvo; se escolher o algoritmo 3) acima, então só terá problemas com colisões de nomes se a pasta alvo não estiver vazia quando a tarefa é iniciada; e se escolher o algoritmo 2) acima, então ficará livre de problemas com colisões de nomes, pois este adapta o nome do ficheiro a criar até não encontrar uma colisão.

Desta forma, o algoritmo 2) referido acima é a escolha por defeito.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe se o programa (caso seja necessário) está ou não autorizado a escrever por cima dos ficheiros com o mesmo nome que se encontrem na pasta alvo e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 6:
Tweet:
Aqui, escolhe se o programa (caso seja necessário) está ou não autorizado a escrever por cima dos ficheiros com o mesmo nome que se encontrem na pasta alvo e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
As configurações correspondentes a este passo estão associadas com as correspondentes à forma de denomear os ficheiros que são criados. Especificamente, a necessidade de escrever por cima de um ficheiro que esteja na pasta alvo aquando do inicio de uma tarefa só ocorre se o algoritmo escolhido para denomear os ficheiros a criar não adicionar um sufixo ao nome dos mesmos, no caso de uma colisão de nomes ocorrer.

Por outras palavras, um ficheiro só pode ser reescrito na pasta alvo no caso de o processo no qual o nome do ficheiro a criar é escolhido não se adaptar às circunstâncias.
#data_uri_creator : Aqui, escolhe a pasta alvo e, no caso da procura incluir as pastas que descendem da pasta fonte, se o caminho para os ficheiros contidos nestas últimas é para ser espalmado e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 7:
Tweet:
Aqui, escolhe a pasta alvo e, no caso da procura incluir as pastas que descendem da pasta fonte, se o caminho para os ficheiros contidos nestas últimas é para ser espalmado e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
Neste passo deve ter em conta as seguintes duas informações: 1) apenas pode mudar a pasta alvo se, no passo 2, não tiver definido que as pastas a utilizar são as criadas por defeito pelo programa; e 2) a necessidade de espalmar o caminho dos ficheiros a guardar na pasta alvo só ocorre no caso de ter definido que os ficheiros a procurar podem sê-lo quer na pasta fonte quer numa das suas subpastas (caso contrário, a pasta de árvores aonde procurar já se encontra espalmada, visto ter apenas um nivel, o correspondente à pasta fonte).
#data_uri_creator : Aqui, é-lhe pedido que aceite que o autor deste programa nunca pode ser responsabilizado por algo de errado que ocorra aquando da utilização do programa e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Passo de configurações 8:
Tweet:
Aqui, é-lhe pedido que aceite que o autor deste programa nunca pode ser responsabilizado por algo de errado que ocorra aquando da utilização do programa e, então, clica ou em feito (para acabar de configurar) ou em anterior/seguinte (para continuar).
Informação adicional:
Tenha em atenção que este programa se encontra em desenvolvimento contínuo e, por isso, apesar dos melhores esforços do seu autor, este tém, de certeza, bugs que ainda não foram encontrados, tal como qualquer outro programa que seja complexo.

Assim sendo, para que você o possa utilizar, tem que aceitar este risco.
#data_uri_creator : Aqui, a não ser que queira desperdiçar o investimento de (provávelmente menos de) 60 segundos que efectuou ao configurar o programa, então não há nada a fazer. Caso contrário, clique pausar ou parar. Pode sempre doar...
Passo de processamento:
Tweet:
Aqui, a não ser que queira desperdiçar o investimento de (provávelmente menos de) 60 segundos que efectuou ao configurar o programa, então não há nada a fazer. Caso contrário, clique pausar ou parar. Pode sempre doar...
Informação adicional:
Tenha em atenção que, quando o processamento é iniciado, durante os primeiros momentos, é possivel que nada apareca na grelha de informações, mesmo que as configurações estejam corretas e haja ficheiros a serem encontrados no caminho dado. Se isto ocorrer, provávelmente, deve-se a que o caminho dado possui uma imensidão de ficheiros associados com ele, os quais o programa está a tentar distrinçar, de forma a encontrar apenas o que interessa.

Contudo, para ter a certeza que este é o caso, passe o cursor do rato por cima da grelha de informações e, se ai vir um cursor a indicar que o processamento está a ser executado, então tenha um pouco de paciência com o programa, pois ele está a trabalhar no duro, a tentar fazer o que você lhe pediu. Se não vir o cursor atrás indicado por cima da grelha de informações, então, provávelmente, as configurações estão erradas e o programa não encontrou nenhum ficheiro de acordo com os seus requerimentos.

Se o trabalho estiver a decorrer de acordo com os seus requerimentos, então, neste passo, você pode ir vendo os resultados do trabalho em execução, ao dar uma olhadela à informação disponibilizada pela grelha de informações.

Aí existe, pelo menos, uma informação interessante, na coluna de estado:

1) o sinal de cor azul significa que o ficheiro que lhe corresponde ainda não foi processado;

2) o sinal de cor cinzenta (apenas aparece se estiver a continuar uma tarefa que foi pausada numa execução anterior do programa) significa que o ficheiro que lhe corresponde já foi processado, mas num ponto de tempo anterior ao correspondente à corrente execução do programa;

3) o circulo com a cor verde significa que o ficheiro associado com o mesmo foi processado com sucesso;

4) o ponto com a cor verde significa que o ficheiro associado com o mesmo foi avaliado com sucesso, mas não foi encontrada uma necessidade de o continuar a processar; e

5) o sinal de cor vermelha significa que ocorreu um erro aquando do processamento do ficheiro a que este corresponde.
#data_uri_creator : Se está aqui, então é porque tentou parar ou pausar o trabalho em execução. Neste passo não há nada a fazer, exceptuando o esperar e o, possivelmente, doar...
Passo de espera:
Tweet:
Se está aqui, então é porque tentou parar ou pausar o trabalho em execução. Neste passo não há nada a fazer, exceptuando o esperar e o, possivelmente, doar...
Informação adicional:
Este passo é necessário, de forma a ter a certeza que o processamento dos ficheiros a criar não fica corrompido.

Isto é necessário pois, neste passo, o programa ainda não sabe se você quer continuar a processar a tarefa em execução mais tarde, pelo que ele tem que assumir que este é o caso.

Por esta razão, o programa tem que continuar a processar os ficheiros que já o estavam a ser, de forma a garantir que nenhum destes é deixado para trás sem que o seu processamento tenha sido efectuado até ao fim.
#data_uri_creator : Aqui, vê o resultado de processar o trabalho até ao ponto em que ele estava antes de chegar a este passo (lembrar que ele acabou ou foi pausado). Agora, você pode reconfigurá-lo ou re-começá-lo/continuá-lo, dependendo de se o trabalho já chegou ou não ao fim.
Passo de resultados:
Tweet:
Aqui, vê o resultado de processar o trabalho até ao ponto em que ele estava antes de chegar a este passo (lembrar que ele acabou ou foi pausado). Agora, você pode reconfigurá-lo ou re-começá-lo/continuá-lo, dependendo de se o trabalho já chegou ou não ao fim.
Informação adicional:
Se você chegou aqui e tudo correu de acordo com os seus requerimentos, então, agora, pode começar a ver os resultados do seu grande investimento em tempo (provávelmente, menos de 60 segundos) na configuração da corrente tarefa. :-)